top of page

Club Bike e Club Style, o que é?

Olha, cada um possui total liberdade de fazer as alterações que imaginar na sua moto. Customização é isso, fazer o que funciona para você. Se não for assim, passa a se chamar padronização. É assim que você deve encarar esse post - vou falar sobre um conjunto de escolhas de customização feitas por pessoas, umas copiando outras enquanto adicionam seu tempero individual, que podem ser chamadas de Club Style. As motos customizadas neste estilo são chamadas de Club Bikes. Chega de enrolação e bora conhecer que diabo é isso!


Escolha da moto

Só pode ser uma moto: Dyna. 😂 Lógico que é brincadeira, mas essa é mesmo a moto mais escolhida pela galera das Club Bikes. Normalmente se escolhe uma Dyna Low Rider, uma Dyna Street Bob ou mesmo uma Dyna Super Glide… tanto é que tem até um nome pra essa galera: dynabros (dyna + brothers, leia-se dainabrôs).



Um exemplo de uma Dyna customizada Club Style. Fonte: Club Style Europe https://www.clubstyle-europe.com/dyna-tom-1/


Falando em Harley-Davidson, é comum ver também esse estilo em Sportsters, em Softails (principalmente Low Rider S, Street Bob, Fat Bob e Sport Glide) e, falando de tourings, Road Glides também têm sido customizadas nesse estilo.


Fora da H-D, o estilo também é aplicado em outras cruisers, sendo conhecido como ”Metric Club Style”. Aqui, o termo Metric é uma referência ao sistema de medidas métrico usado na maior parte das motocicletas fora dos EUA, principalmente nas marcas japonesas.


Uma Yamaha Bolt Club Style. Fonte: Blockhead! https://youtu.be/CBGZGF-96kU

Tem que ser moto “grande”? Olha, nesse mundo, nada “tem que ser”… mas como você poderá perceber no tópicos Performance e Lifestyle deste post, a preferência é por motos de alto torque.

Estética da moto


Essa é a parte mais polêmica do texto, onde normalmente se encontram os “cagadores de regra”. Na customização, não tem regra, mas tem uma linha estética que torna um estilo coeso, e é disso que eu vou falar.

Carenagens, bolhas ou fairings:

Talvez uma das características mais marcantes (apesar de opcional) de uma Club Bike, o fairing (nome americano desta carenagem frontal) se apresenta em diversos estilos. Os mais comuns são os seguintes:

  • Carenagem padrão (presente nas Sportser Iron 1200 e Softail Low Rider S)

Fonte: Harley Davidson www.h-d.com


  • Quarter Fairing


Fonte: Harley Davidson www.h-d.com

  • Road Warrior


  • FXRT style fairing (Full Fairing)



Além da estética, os fairings são excelentes defletores de vento, e servem também para montagem de acessórios, como alto falantes de sistema de som. Eu já tive um quarter fairing equipado em minha antiga moto (a Totoro, uma Sportster 883 Iron), e a diferença era incrível. Em tempos frios, praticamente não precisava me preocupar com o vento no pescoço. A diminuição da pressão de ar também era expressiva, tornando a viagem bem menos cansativa. Minha moto atual (a Kiki, uma Softail Low Rider S) possui o fairing padrão (primeira imagem) que causa pouquíssima diferença. Provavelmente ela vai ganhar um Road Warrior em breve!


Risers

Presente na maioria das motos da H-D, o riser é a peça que conecta o guidão à mesa da moto. Existem montagens de guidão diretamente à mesa, mas estas são pouco comuns. Club Bikes são frequentemente equipadas com risers alongados, que fazem o guidão ficar mais alto, e em alguns casos com “pullback”, ou seja, um ângulo de retorno, que faz com que o guidão se aproxime do corpo da pessoa que pilota a moto. O riser é um excelente acessório para melhorar a ergonomia da pilotagem e, na maioria das vezes, pode ser instalado mantendo-se o guidão original.



Escapamentos 2 x 1

Como abordaremos em mais detalhes no tópico “Performance”, Club Bikes costumam sofrer modificações que aumentam muito seu torque e potência total. Escapamentos combinados, que conectam a extremidade final dos coletores de todos os cilindros, tendem a trazer ganhos na potência das motos, por isso são a escolha da maioria dos customizadores de Club Bikes.



Bancos step up

Estes bancos robustos são desenhados com ângulos fechados (poucas curvas) e oferecem um significativo apoio lombar ao motociclista. Isso ajuda a segurar o piloto à moto nas absurdas acelerações que o alto torque das Club bikes entregam, evitando que o corpo fique junto do espírito (já que esse fica pra trás na arrancada de qualquer jeito). Estes bancos também são chamados de “Square Body”, e poderiam acomodar facilmente o Bob Esponja.



Velocímetros relocados à frente

Por serem focadas em performance, as Club Bikes frequentemente apresentam velocímetros posicionados “na cara” dos motociclistas. É comum ver conjuntos complexos de monitoramento da moto em Club bikes, incluindo mais mostradores que os painéis originais, geralmente montados na tampa do riser, para que fiquem visíveis a qualquer momento.

Pinturas

Club Bikes não são muito amigáveis aos acabamentos cromados. É comum ver acabamentos em preto brilhante, mas isso não significa que toda Club Bike tem que ser “bandida”. É comum ver artes incríveis na pintura das Club bikes



Alforges

Normalmente, linhas de customização são form over function, ou seja, beleza antes da funcionalidade. Isso também pode ser verdade para as Club Bikes mas, em geral, elas são function over form, ou seja, a funcionalidade é parte integrante deste estilo. Nada mais funcional para uma moto do que bons alforjes, certo? Club Bikes podem ser baggers, ou seja, “carregadoras de malas”. No entanto, não se vê alforjes de couro (franja, então, nem pensar) em Club Bikes. São preferidos alforjes rígidos de fibra ou flexíveis de nylon, e eles são laterais (em torno do para lamas traseiro) ou posicionados no riser.


Fonte: Laidlaw’s H-D https://youtu.be/MazQnxzlUmk



Outros

Pedaleiras com cravos, protetores de mão, luzes auxiliares, crash bars… você deve estar pensando que eu estou falando de uma “Big trail”, certo? Pior que não… Estes acessórios citados são incrivelmente comuns em Club Style. Esse é um estilo altamente “equipado”, onde se escolhem peças que trazem muita função à moto. É comum ver club bikes “cobertas” de acessórios. Também existem aquelas Club Bikes mais “clean”. No entanto, diferente de estilos como bobber e chopper, o excesso de acessórios pode ser bem aceito no Club Style.


Fonte: Jon’s Moto Garage https://www.instagram.com/p/CQ-CM2qhriY/


Performance

Como você já pode perceber até aqui, Club Bikes são máquinas de alta performance. É comum que se realize o aumento do volume dos cilindros (aumentando a cilindrada da moto) e não é raro ver trocas da transmissão final de carreira para corrente. Isso por quê os fãs deste estilo costumam gostar de empinar a moto (dynabros chamam isso de wheelie, mas os motoboy chamam de “dar grau”) e de queimar o pneu (dynabros chamam isso de burnout, mas aqui no Brasil é “borrachão” mesmo), e essas manobras de dublê demandam motos com mais torque.




Estética pessoal (moda)

A moda Club Style é inspirada no Street Wear. Dynabros normalmente usam tênis Vans Old Skool, agasalhos de moletom com gorro, poucos (ou nenhum) EPI, capacetes que parecem ter sido usados pelos Stormtroopers entre outras esquisitices. Também é comum o uso de acessórios com estampa quadriculada, mas a cor predominante é o preto.

Marcas

Uma das maiores marcas deste estilo é a brasileira Dynamite Crew. Referência em estética e performance, a D⚡️C exporta peças para o mundo inteiro, e dá orgulho de ver o impacto que eles tiveram na cultura Biker mundial, principalmente no estilo Club Bike. Além disso, vale citar a Brotherhood Fairings, que fabrica todos os estilos de fairings aqui no Brasil.


Lifestyle

O Club Style é uma contra-cultura que vem ganhando cada vez mais tração. O que antes era visto como “mau gosto”, hoje em dia é cada vez mais adotado na estética da customização. Além das motocicletas, o estilo Club Style é jovem e irreverente, o que considero ser um dos maiores rejuvenescedores das motos clássicas que existem atualmente. Sem as Club Bikes, as motos Harley-Davidson provavelmente teriam ainda menos appeal às gerações mais jovens. Tanto é que a Low Rider S, uma das mais recentes motos lançadas pela marca, abraça totalmente este estilo em sua estética.

Quer conversar sobre Club Bikes? Me chama aqui ou pelo Instagram em @franklinlucas . Grande abraço e bora rodar!!!

2.285 visualizações6 comentários

Posts recentes

Ver tudo

6 Comments


Gabriel Araujo
Gabriel Araujo
Sep 10, 2023

Excelente texto, Franklin. Realmente me encontrei no estilo. Hoje é o que mais me representa (em relação à moto, ao jeito de se vestir e pensar motociclismo) entre todos os estilos de qualquer modelo/marca. Desempenho, estilo de vida, estética. Tenho uma Street Bob 2017, bem deste jeito. Já estou mexendo nela, apesar dela ter vindo bem “do meu jeito” (comprei seminova, e pelo visto também era o gosto do antigo dono). Mas ainda pretendo mexer mais nela. Na medida do possível. Abraço!!!!

Like
Franklin Lucas
Franklin Lucas
Sep 10, 2023
Replying to

Valeu Gabriel! Eu também aderi 100% a esse estilo. Excelente escolha pela street bob, ela é super clean e veste muito bem os acessórios club style. Se estiver em MG, da um salve lá no Instagram e a gente marca um ride! @franklinlucas

Like

muito bom!!!


Like

Carla de Almeida
Carla de Almeida
Jul 16, 2021

Valeu Franklin. Curti demais o texto.

Like

Roberto Vieira
Roberto Vieira
Jul 14, 2021

@franklinlucas, gostei muito do artigo.

Me explica, por favor, o que significa o termo "Dyna".


Abraços

Like
Franklin Lucas
Franklin Lucas
Jul 14, 2021
Replying to

Fala, Roberto! Que bom que curtiu o artigo! A Dyna é uma plataforma da Harley Davidson, caracterizada pela montagem do motor no chassi e o sistema de amortecimento. Sob esta plataforma, são montados diversos modelos da marca. Outras plataformas famosas são Sportster, Softail e Touring. Hoje, tenho uma Softail Low Rider S. Há 5 anos atrás, meu modelo de moto estava na plataforma Dyna, se chamava Dyna Low Rider S. Grande abraço!

Like
bottom of page